Importância da atividade física: Entrevista com Hésojy Gley

hesojy-gley

Importância da atividade física e do educador físico durante a pandemia. Entrevista com Dr. Hésojy Gley. Confira!

No dia 05/04 (segunda-feira), o conselho Federal de Medicina (CFM), através da Câmara técnica de Medicina do esporte foi acionado para se posicionar sobre o tema “A importância da atividade física e do educador físico nessa pandemia”, na Câmara de Deputados.

Conversamos com um dos vice-presidentes da Sociedade Paulista de Medicina do Esporte (Spamde), Hésojy Gley, que também é coordenador de saúde do Comitê Paraolímpico Brasileiro.

Doutor, nesse contexto de pandemia, quais seriam as principais soluções para quem deseja iniciar ou continuar a praticar atividade física?

“No contexto da pandemia, nós sabemos que os espaços confinados não são ideias se não houver um protocolo para pratica do exercício com segurança em relação ao covid-19. Portanto, os espaços ao ar livre são mais indicados para essas práticas, mantendo o distanciamento de pelo menos 5m a 10m, usando as máscaras de acordo com as determinações das autoridades.”

“Para isso, a Sociedade brasileira de medicina do esporte soltou notas ao longo do ano de 2020 que dão orientações sobre essas práticas. Nas academias, seguindo os protocolos de cuidado nós não vemos problemas na reabertura desde que seja respeitada as fases da pandemia, para assim evitar um colapso do sistema de saúde.”

O Doutor conclui: “Para aqueles que querem iniciar, é interessante que se inicie com atividades de leve intensidade por ter menores riscos de lesões e menos risco quanto a injúrias cardiovasculares ou mortes súbitas, de preferência ao ar livre. Mas atenção: Se a pessoa tiver algum histórico de problemas de saúde muscoesquelético, procure o seu médico. ”

Acho que muitas pessoas durante essa pandemia estão desacelerando o ritmo de trabalho e estudo, ficando mais em casa e observando mais as coisas ao seu redor. Mas muitos ficaram agitados, com problemas de ansiedade e com a saúde debilitada.

Você acha que nesses tempos, a atividade física pode ou se tornou um pilar essencial para esta pandemia, tanto fisicamente como mentalmente?

 

“Sem dúvidas nenhuma! A atividade física regular ela é responsável pela redução de chances pelo menos em 7 vezes de risco de AVC e enfarto, controle e prevenção de pelo menos 26 doenças crônico degenerativas e 23 tipos de câncer entre outros benefícios na vida do ser humano. A atividade física tem um papel muito importante no controle da depressão e da ansiedade, pela modulação dos neurotransmissores e isso realmente faz a diferença neste momento”.

Hoje a Internet nos dá muitos recursos sobre esporte e atividade física. Vemos muitos artigos sobre perda de peso, como emagrecer em alguns dias ou como ter mais energia, mas ainda sim insistimos em um educador físico profissional para aqueles que desejam praticar exercício físico.

Na sua opinião, o que você acha de mais essencial que um educador pode oferecer que os textos ou vídeos não oferecem?

“Hoje em dia, cada vez mais com os recursos online, se discute muito sobre a questão presencial dos profissionais e muitas vezes a existência de algumas profissões. Então é natural que com o avançar da tecnologia, a humanidade sempre se questionar sobre a necessidade de determinados profissionais ou a adaptação dos profissionais naquele recurso.”

“Profissões da área de saúde no geral, elas têm um crescente da sua necessidade. O que entendemos é que essas profissões precisam se adaptar as novas tecnologias, seja médico, fisioterapeutas, enfermeiros etc. E o educador Físico (que no Brasil, de acordo com o código brasileiro de ocupações, o educador físico é considerado um profissional da saúde).”

“Quando você tem atividades dentro de instituições, ela é responsável por fomentar. No âmbito individual, quando você pratica por si só, você acaba assumindo todos os ricos. Então sim, é recomendável que haja a avaliação médica e também um educador físico lhe orientando.”

Qual seria o seu principal conselho para quem procura retornar ou começar pela primeira vez a praticar atividade física?

“Nós precisamos entender que tudo está diferente! E nós não sabemos se essa normalidade irá voltar o quanto antes. A manutenção da atividade física deve seguir os níveis ao que ela já fazia antes. O mesmo para
as atividades aeróbicas, sempre optando por fazer ao ar livre.”

“Para aqueles que tem aparelhos ergométricos, podem se manter confinados. Não tem segredo! Mas o que pode ser um obstáculo é a motivação, desde que fatores externos venham a lhe atrapalhar. Mas se você coloca a atividade física como prioridade, você irá encontrar um tempo no seu dia, para fazer 30min ou mais, para correr, andar de bicicleta, dar uma volta na rua, evitando os espaços fechados e respeitando as normas das autoridades para cada fase da pandemia”.

Siga nosso Instagram e fique atualizado: @spamde.esportiva

Leia também: Os efeitos da atividade física sobre as mulheres com câncer de mama

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *